Vital Fárias O Cantador De Taperoá

News3

O nosso Homenageado tem uma história bem interessante. Embora uma boa parte dos brasileiros conheçam algum trabalho seu, e até cantem, poucos são os que sabem que é dele e conhecem um pouco mais desse grande brasileiro, paraibano de Taperoá, enorme talento, cantador de primeira linha e poeta dos melhores que esse país já produziu.
Vital Farias é o homenageado de hoje no “A Arte Do Meu Povo” do nosso OxeOxente.Com.Br.
Para falar de Vital, como sempre, buscamos informações e na nossa pesquisa encontramos o site https://www.mpbnet.com.br/musicos/vital.farias/index.html e foi dele que retiramos essas palavras:

No dia 23 de janeiro de 1943, em Taperoá (PB), nascia Vital Farias, caçula de 14 irmãos. Foi alfabetizado com as irmãs através da Literatura de Cordel. Aos 18 anos, apesar da tradição musical da família, começou a estudar violão sozinho. Nessa época, foi para João Pessoa para servir ao Exército. Participou de diversos conjuntos musicais, entre os quais "Os quatro loucos", que apresentava imitações de músicas do conjunto de rock inglês "The Beatles". Pouco depois passou a dar aula de violão e teoria musical no Conservatório de Música de João Pessoa. Em 1975 mudou-se para o Rio de Janeiro, e no ano seguinte foi aprovado no vestibular para a Faculdade de Música.

No Rio de Janeiro começou a participar de shows e outros eventos artísticos, como a peça “Gota d’água” (1976), de Chico Buarque de Hollanda, atuando como músico. Sua primeira composição gravada foi "Ê mãe", em parceria com Livardo Alves e gravada por Ari Toledo. Em 1978 gravou o seu primeiro disco. Dois anos depois saía “Taperoá”, seu segundo disco. Em 1982 lançou o LP "Sagas brasileiras". Em 1984 lançou, pela Kuarup, o CD Cantoria I, com Elomar, Geraldo Azevedo e Xangai. Em 1985 lançou o LP "Do jeito natural", uma coletânea com seus maiores sucessos. No mesmo ano participou do álbum Cantoria II, com os mesmos integrantes do CD anterior. Depois disso resolveu parar de gravar por um tempo e passou a se dedicar aos estudos. Suas composições destacam-se pelo humor e inventividade, onde se mesclam canções nordestinas, sambas de breque, modinhas, xaxados e outros ritmos.

Em 2002 produziu o disco de estréia de sua filha e cantora Giovanna, no qual estão presentes 15 composições de sua autoria. O disco foi lançado pelo selo Discos Vital Farias. No mesmo ano lançou o disco "Vital Farias ao vivo e aos mortos vivos". Recebeu, ainda no mesmo período, o título de Cidadão do Rio de Janeiro."

No blog oficial do Mestre (http://vitalfariascantador.blogspot.com/ )tem muito mais informações e fotos, aconselho você a fazer uma visita. 


E "VIVA A ARTE DO MEU POVO"!!

Deixe seu comentário